domingo, 22 de agosto de 2010

[e como vai ser]

25/11/09

Não tinha a menor idéia e não se importava porque, pela primeira vez em muito tempo, retomara o leme de sua embarcação descartográfica. Vislumbrava um mundo de problemas a frente, não havia dúvidas, mas estava em boa corrente e de velas novas. Em velocidade de cruzeiro, seria sol e tormenta da própria jornada. Começara-lhe o verão, não sentia falta da primavera ou temia a chegada do outono. Além da janela, no entanto, no primeiro ano da era de peixes, findava o estio e o outono batia suas primeiras folhas secas no chão. Viveria seu verão no outono do mundo. Parecia-lhe um bom estar o que ele poderia ser naquele momento. Parou de pensar pelo tempo sendo e tomou daquele ar como se fosse a golfada derradeira.

Pensou: "está tudo bem". E não estava se enganando dessa vez.

.............................
não tenho conseguido escrever esses dias, então por enquanto vou resgatar alguns textos antigos que andam fazendo sentido de novo.
Por uma boa vida.

2 comentários:

Marcos Burian (Buriol) disse...

Nada melhor que muito café e boas leituras pelas segundas nauseabundas afora. Novez fora, coisa nenhuma.

Filipe disse...

=)